por Fabio Assolini
Especialistas da Kaspersky Lab
Postado 16 de agosto, 22:14 GMT
 

Esta semana fui convidado para falar na Quinto Congresso sobre Cibercrime , um evento promovido pela Federação do Comércio  do estado de  São Paulo (FECOMERCIO). Havia mais de 1500 participantes, incluindo jornalistas, políticos, advogados, profissionais de segurança, polícia e homem de negócios, todos eles discutindo os efeitos dos crimes cibernéticos no país e como a sociedade está tentando combatê-los. 

Uma minuciosa pesquisa foi apresentada durante o Congresso, que mostrou como os brasileiros são afetados pelo cibercrime, vazamento de dados, as preocupações de privacidade e uso móvel. Para ver a pesquisa completa, baixe um resumo aqui ou os dados completos aqui (Português).

De acordo com este estudo, os cibercrimes mais comuns relatados pelos inquiridos foram:

1) Clonagem de cartão de crédito

2) Uso mal-intencionado de dados pessoais

3) Roubo de dinheiro através dos serviços de Internet banking

4) Fazendo compras em falso sites de e-commerce

 

 

O Congresso discutiu a legislação mais recente do cibercrime o recentemente aprovado "Lei de Carolina Dieckmann" e seu efeito na sociedade. Advogados e especialistas similares concluíram que a lei não vai suficientemente longe – as penas são muito brandas para deter os criminosos.

Mais dois projetos estão aguardando aprovação. O governo brasileiro está considerando dois atos  legislativos de alta prioridade que podem mudar a situação de crimes cibernéticos no país: uma é uma lei na proteção de dados pessoais que visa regular como as empresas gerenciam os dados dos cidadãos brasileiros; um segundo é a "Constituição da Internet", que regulam a neutralidade da Internet e obrigam as empresas para hospedar seus servidores e os dados do usuário localmente.

Apresentei uma visão geral do malware brasileiro e botnets, detalhando os recentes ataques tais como o Vulnerabilidades de modem DSL , as últimas técnicas usadas pelos bandidos e as tendências atuais entre os Trojans em bancos  brasileiros .

 

No final do evento o público tinha chegado a um consenso: qualquer luta bem sucedida contra a cibercriminalidade, exigirá um esforço conjunto de empresas de segurança, indústrias, comércio e governo.

Original:

http://www.Securelist.com/en/blog/9176/Discussing_cybercrime_laws_in_Sao_Paulo