Site Meter Como Assim um Sistema Operacional na "Nuvem" ? - Negócio de Risco - Site Home - TechNet Blogs

Negócio de Risco

Blog do Time de Segurança da Microsoft Brasil

Como Assim um Sistema Operacional na "Nuvem" ?

Como Assim um Sistema Operacional na "Nuvem" ?

  • Comments 2
  • Likes

O problema com as metáforas é que às vezes elas atrapalham ao invés de ajudar. "Nuvem" é o termo normalmente associado a Internet, ou mais exatamente ao local onde estão os recursos que estão sendo fornecidos pela Internet, e vem dos tradicionais diagramas de arquitetura de sistema onde o desenho de uma nuvem é utilizado para representar todos os componentes que não interessam ou que não podem ser datalhados no diagrama.  Para entender o que é o Windows Azure no entanto vamos deixar a nuvem de lado por um instante.

Nos últimos dois anos a Microsoft trabalhou para montar um super-computador, formado por centenas de milhares de CPUs operando conjuntamente e conectados a terabytes de memória e petabytes de armazenamento. Esta estrutura toda está fisicamente espalhados por quase uma dezena de datacenters mas opera como uma única e gigantesca máquina, talvez a maior existente no mundo. O Windows Azure é o sistema operacional que roda nesta máquina.

Em termos conceituais o Windows Azure faz as mesmas funções que qualquer outro sistema operacional. Ele gerencia a alocação dos recursos da máquina, intermedia o acesso ao hardware, oferece aos desenvolvedores uma plataforma que permita a eles escrever aplicações para a máquina, gerentia a comunicação entre as aplicações, cuida da interface com o usuário,  etc. A diferença fundamental entre o Windows Azure e os outros Windows é que ele não roda no seu PC e sim no super-computador da Microsoft.

Em termos de segurança o Azure é o responsável por implementar o isolamento entre as aplicações, garantindo que a sua aplicação rodando no Azure vai não vai ser afetada por outras aplicações rodando no super-computador, e também por fornecer a infra-estrutura de autenticação e controle de acesso que permita você controlar quem vai acessar sua aplicação e o quê pode ser acessado. Em próximos posts vamos falar em mais detalhes sobre estes dois temas.

Comments
Your comment has been posted.   Close
Thank you, your comment requires moderation so it may take a while to appear.   Close
Leave a Comment