Artigo original publicado na quarta-feira, 12 de outubro de 2011.

Olá e bem-vindo ao meu primeiro blog como membro da equipe Office IT Pro. Eu costumava escrever um pouco no blog para a equipe do Windows sobre tópicos interessantes, como geração de imagens, implementação de automação, migração do sistema operacional de físico para virtual e compatibilidade do aplicativo. Se você está se perguntando o que estou fazendo agora no Office… bem, há uma série de implementações interessantes que podemos fazer para a próxima versão e eu, definitivamente, queria ajudar com isso – falaremos mais sobre isso em alguns meses.

Muitas pessoas ainda usam a frase “Mundo pós-PC” como se a morte do teclado e do mouse fosse eminente. Eu adoro dispositivos sem teclado e todos que me conhecem sabem que tenho vários computadores ultramóveis (UMPCs) com e sem teclados. Agora mesmo, estou usando um HP 8540W acoplado com um teclado e um mouse externo de tamanho normal para escrever esse blog, porque seria trabalhoso fazer isso em qualquer um dos meus tablets Windows ou não Windows sem teclado, da mesma forma que seria doloroso usar meus minúsculos teclados Umid mBook ou Fujitsu U820. Nem todos os fatores de forma são criados iguais para que o trabalho seja feito e, baseado nisso, eu acho que ainda estamos no “Mundo do PC”. Tudo isso é especialmente importante quando se tratam de aplicativos do Office e de produtividade e se um está no modo de criação ou consumo de conteúdo. E isso me leva ao primeiro pensamento: os usuários passam pelas mesmas experiências em todos os dispositivos de informática?

Mantenha esse pensamento. Isso é a parte um de uma série de blogs destinados a explorar como as pessoas podem usar vários tipos de dispositivos para acessar, visualizar e editar documentos de trabalho e arquivos. Eu realmente quero eliminar o exagero e mostrar algumas das maneiras reais para gerenciar vários tipos de dispositivos com sistemas operacionais e navegadores variados. Dividirei isso nos seguintes temas principais.

  1. Tipos de entrega do software do Office – PC, Mac, telefone e navegador
  2. Gerenciamento do acesso a email em diferentes tipos de dispositivos
  3. Personalização da experiência do usuário final do Office para dispositivos de toque
  4. Diferenciação do acesso ao arquivo com base no dispositivo
  5. Opções de área de trabalho e aplicativo remotos, benefícios e desafios

Muito disso não se trata apenas do Office e do uso do pacote de aplicativos do Office, mas de uma alegoria geral sobre gerenciamento de vários dispositivos e de fornecer um privilégio de acesso diferenciado baseado na confiança do dispositivo. Yoni Kirsh e eu apresentamos esse tópico na TechEd em Atlanta, no mês de maio. Abordamos muitos desses temas e mostramos uma série de demonstrações nos dispositivos Windows, iPad, Android e, claro, no servidor. Embora meus colegas na equipe do Windows tenham criado muitos conteúdos ótimos na Consumerização de TI para explicar o que significa ter pessoas que querem dispositivos e as tensões associadas com o gerenciamento deles, eu pensei em por a mão na massa e realmente criar meu próprio ambiente funcional do Exchange e do SharePoint com uma série de dispositivos para ver as implicações reais e os pontos de decisão da criação de um mundo multidispositivo. Eu tenho um histórico em fazer esse tipo de coisa. Quando usamos a “Otimização de infraestrutura” como uma campanha de vendas e marketing em 2006, eu decidi escrever 500+ páginas sobre como um profissional de TI implementaria nossas recomendações de Otimização da infraestrutura principal, então, qual a dificuldade desse tópico sobre tablet?

Tipos de entrega do software do Office – PC, Mac, telefone e navegador

Assim como acontece com qualquer investigação e elaboração de relatório, é preciso um pouco de descoberta. Se eu me concentrar novamente no Office por um momento, você verá que há muitas maneiras de visualizar e editar arquivos do Office em muitas plataformas.

  1. Aplicativos completos do Office para Windows de 32 bits e 64 bits
  2. Aplicativos completos do Office no sistema operacional Mac
  3. Aplicativos do visualizador do Office para Windows
  4. Aplicativos do Office para telefone celular
  5. Aplicativos do Office para web
  6. Aplicativos OpenXML em dispositivos Windows e não Windows para visualizar arquivos OpenXML (docx, xlsx, pptx, etc.)
  7. Office hospedado remotamente em um servidor Windows com a função de serviços de área de trabalho remota instalada
  8. Office hospedado (remotamente ou localmente) em um sistema operacional físico ou virtual do cliente Windows

Quando você pensa em todas essas opções, há dois vetores que eu acho importante, como uma pessoa de TI, “Eles têm funcionalidade suficiente para o usuário, e eu posso gerenciá-los?” Quando digo gerenciar, eu não posso apenas transferir o gerenciamento para o próprio aplicativo do Office. Gerenciamento, nesse caso, significa:

  • “Posso autenticar que o usuário é quem diz ser?”
  • “Posso ter acesso aos documentos e recursos do aplicativo com base nos direitos do usuário?”
  • “Posso controlar a experiência do lado cliente para resistir a alterações indesejadas na configuração do usuário, código ou suplementos indesejados?”

Essas são perguntas interessantes, mas ainda é a ponta do iceberg. É claro que eu preciso ponderar o que o aplicativo faz. Se meus usuários estão mesmo executando o Windows XP com Office 2003, eles têm a expectativa do que o Office pode fazer para eles, então a substituição por um conjunto de aplicativos do Office para web ou Office para Mac 2011 realmente atenderá as suas expectativas e me proporcionará controle suficiente do gerenciamento? Eu visualizei os principais cenários para apresentar a funcionalidade e o gerenciamento nos seguintes diagramas do quadrante.


Sobre o gerenciamento inteligente, há pouco que eu possa definir e impor (impor sendo a palavra-chave) em um Mac ou telefone. O Office para Mac 2011 oferece algumas configurabilidades de tempo de instalação, mas falta alguma imposição de diretiva. Isso significa que tudo é definido como uma preferência e não há imposição como a diretiva de grupo do Active Directory dessas configurações. Você verá recomendações como essa da Microsoft:

Prática recomendada

Considerações

Informar e treinar os usuários sobre as configurações de segurança que estão disponíveis para proteger seus documentos.

Não há configurações administrativas que permitem impor preferências de segurança que você especifica. Mesmo se você definir e implementar preferências de segurança, os usuários podem alterar essas preferências posteriormente. Por isso, se você implementar configurações de segurança como parte da política da sua organização, deverá informar seus usuários sobre os riscos associados com a alteração das configurações padrão.

Como conferencista frequente, adoro citações como essa, pois elas são um caminho certo para obter reações engraçadas da sua plateia. “Sim, informarei às pessoas como a minha mãe para não alterarem minhas configurações padrão – isso funcionará com certeza”. Se você é como eu, peregrinações domésticas normalmente envolvem a execução do ERD Commander pelo menos uma vez em cada máquina na casa. Seus usuários são muito melhores?

O resultado líquido aqui é que a paridade de nível da funcionalidade e do recurso em relação aos aplicativos do Windows do Office Professional Plus 2010 é próxima, mas não a mesma. O gerenciamento é em grande parte limitado a controles de acesso do lado do servidor e preferência de tempo de instalação. Essas limitações no meu livro colocam o Office para Mac 2011 quase no mesmo nível de gerenciamento do Office for Windows Phone 7. Embora o telefone não tenha realmente configuração de preferência de tempo de instalação ou pós-instalação, as configurações impostas do Exchange Active Sync preenchidas nas lacunas de preferências de tempo de instalação e os controles do documento no lado do servidor são bem similares. O Windows Phone 7.5 (Mango) e o Office for Mac 2011 respeitam o Gerenciamento de Direitos de Informação (IRM). Os aplicativos do Office para Windows Phone 7, entretanto, têm um conjunto de recursos menores quando comparado a todos os clientes para Windows ou Mac. Na verdades, esses recursos são quase comparáveis com o recurso Office Web Application que é definido aplicativo por aplicativo, caracterizado pela alta fidelidade da visualização com capacidades limitadas de edição ou criação de documentos. Essas limitações geralmente são um indicativo para a maioria dos aplicativos para web – Microsoft ou não – em relação às suas contrapartes instaladas localmente. O aplicativos do Office para web, se você ainda não tiver usado, são acessados através dos ambientes dos portais SharePoint 2010, Windows Live ou Office 365.

E por fim, mas não menos importante, eu instalei o Office em um servidor Windows remoto ou no sistema operacional do cliente e acessei via dispositivo remoto do Windows ou Android, iPad, thin PC ou dispositivo similar. Em teoria, deve haver paridade com a execução do cliente completo em um computador local e físico e com o nível atual de integração, estamos chegando perto. Minha justificativa para limitar o nível do recurso é principalmente devido à falta de uso offline ou uso em uma conexão lenta. Dependendo da arquitetura usada e se você permite ou não que as configurações do perfil do usuário persistam, as personalizações só podem ser no registro hkey_local_machine (HKLM) ou no nível do perfil do usuário padrão, que exclui a personalização por usuário. Como estamos potencialmente pintando uma tela de um servidor remoto ou cliente virtual hospedado no nosso datacenter, e as sessões geralmente são sempre ativas e conectadas às ferramentas de gerenciamento dos sistemas para serviço, geralmente há uma vantagem de gerenciamento. Embora a hospedagem remota possa trazer benefícios, você ainda precisa prestar atenção em como os pontos de extremidade estão acessando essas sessões e onde os dados podem ser armazenados e acessados entre outras coisas. Falaremos sobre o acesso de dados e permissões do local para salvar nos futuros blogs da série.

Com isso, você tem uma ideia dos tipos de entrega dos aplicativos do Office. Intencionalmente, eu não toquei aqui em recompactação ou virtualização do aplicativo, pois podemos colocá-los com o cliente completo; existem alguns problemas de não paridade junto com alguns benefícios de provisionamento e gerenciamento, mas por causa dessa série de blogs, combinarei esse tipo de entrega com o local onde coloquei a instalação local do Office Professional Plus 2010. No próximo blog, trataremos dos controles do Exchange Active Sync para email e calendário em dispositivos designados e em como o Office pode ser configurado e personalizado para o uso por toque.

Obrigado pela leitura e mais informações serão postadas em breve na parte 2,

Jeremy Chapman

Gerente sênior de produtos

Office IT Pro Team

Essa é uma postagem localizada do blog. Encontre o artigo original em Windows, iPad and Android - Managing and Using Your Office Assets in a Tablet World (Part 1)