Enviado por Dele Akinsade, Programador Platforms Evangelism Lead, África Subsariana e Ilhas do Oceano Índico

Chegou de novo aquela época do ano: a altura do concurso Copa Imagine da Microsoft vai no seu melhor, com as finais locais que têm lugar no continente.  O concurso reúneVencedores Concessão de Subvenção 2012: Equipa Cipher256, Uganda. Aaron Tushabe, Joshua Okello, Dr. Davis Musinguzi, Josiah Kavuma e Joseph Kaizzi estudantes inovadores de todos os cantos do globo, para exibirem as suas óptimas ideias para novos aplicativos – e este ano o concurso é mais renhido que nunca.

O grande prémio final é um montante que vai mudar a vida –USD $300,000 – suficiente para encorajar qualquer estudante programador a meter mãos à obra e começar a codificar seriamente!  Mas, mesmo que soe como frase-feita, vencer não é tudo na Copa Imagine.  A experiência de fazer a apresentação a um painel de juízes especializados, de levar a ideia do conceito à praça, o intercâmbio com programadores de ideias semelhantes de todo o mundo, e claro, toda a diversão que isto também traz – é uma experiência que só vem uma vez na vida e a muda para sempre. 

Como sempre, estou muito entusiasmado para ver as inovações que vêm de África – e que equipas irão até às Finais Mundiais em St. Petersburg, Rússia, no mês de Julho próximo.  O ano passado, equipas de Egipto e Argélia ganharam prémios e a Equipa Cipher256 do Uganda ganhou a Concessão de uma Subvenção por WinSenga – um dispositivo portátil que pode digitalizar o útero de uma mulher grávida, monitorizar os movimentos do bebé e detectar uma gravidez ectópica ou batimentos cardíacos fetais anormais.  Esta inovação trata de um desafio local no Uganda – a falta de acesso a cuidados pré-natais acessíveis.  Mas também tem o potencial de poder ser usada em muitos países africanos, e outras partes do mundo.  É precisamente este o tipo de “intercâmbio” a que nos referíamos quando lançámos a Iniciativa 4Afrika, fundamentada na convicção de que “a tecnologia pode acelerar o crescimento em África, e a África pode também acelerar a tecnologia para o mundo”.  E embora a Equipa Cipher256 não tenha recebido um prémio nas finais, receberam $50 000 através do  programa Concessão de Subvenção, impulsionado por YouthSpark da Microsoft, uma iniciativa que visa ajudar jovens a educarem-se, encontrar trabalho e estimular o empreendedorismo.

Encorajo todos os estudantes africanos a idearem novas maneiras de usar a tecnologia para enfrentar os desafios que a África – e o mundo – enfrentam.  Nunca se sabe, no próximo ano podes ser levado de avião a um local excitante para fazer parte das Finais Mundiais de 2014!  E não te esqueças continuar ligado à página do Facebook Microsoft Africa e de Twitter @MicrosoftAfrica para as últimas sobre as equipas africanas que competem no concurso de este ano.