Olá,

Em tempos de mudanças constantes muitas vezes as pessoas me perguntam por quê a maiorias das empresas não consideram a área de TI um valor estratégico no aspecto de aspecto de inovação, mesmo com grandes dependias em tecnologia per si. Analisando este aspecto nos precisamos entender como avaliar sistemas de informações e aspectos organizacionais.

Um estudo que eu fiz durante um dos trabalhos sobre a origem da avaliação da maturidade da gestão do portfólio de aplicações poderia talvez esclarecer algumas das perguntas básicas.

Vamos começar com vida real, na área de TI como na vida real, existem vários níveis de maturidade dentro de um mercado só. A grande pressão sobre a alta gerencia de TI, exigindo-se redução de custos, outsourcing, alinhamento com as áreas de negócio, eficiência operacional e inovação, deixa a maioria das empresas em estado de alerto. Em desespero de mostrar ações, decisões tácticas são na maioria das vezes aplicados com pouco sucesso. Mas por quê? Mina interpretação e que a falta de maturidade é um das grandes inibidores na área de TI. Mas como avaliar o nível de maturidade?

 

Como tudo começou

Nos anos 70/80 na era pôs mainframe os cientistas começarem questionar como extrair o maior valor dos sistemas de informação. Durante este tempo sugiro um dos modelos mais famoso, o modelo Nolan que captura a evolução da TI dentro das organizações criando uma visão do portfolio de aplicações estratégico bem simplista. Até hoje eu considero este modelo uma leitura valioso e aplicável em quase todas as clientes.

Nolan começou de dividir os tipos de aplicações que foram criados para suportar atividades de gerenciamento (Figura 1) em três tipos básicos. Este modelo ajudou na primeira classificação de aplicações.

image

Figura 1 Tipo de Aplicações

Focus da Empresa:

  1. Operational Systems: Empresa gasta mais tempo e esforço em aspectos de excelência operacionais (Áreas Internas).
  2. Control Systems: Empresa gasta mais tempo e esforço em aspectos de excelência gerenciais (Áreas Internas).
  3. Planning Systems: Empresa gasta mais tempo e esforço em aspectos estratégicos e planejamento (Áreas Interna e Externa).

Baseado neste modelo vocês poderiam se perguntar quanto esforço a sua empresa ou departamento gasta para cada categoria de aplicações. A área de TI de vocês ajuda as áreas de negócios em aspectos estratégicos ou simplesmente foca em excelência operacional?

Evolução do modelo “Six Steps”

Continuando na evolução do modelo, vamos analisar que Nolan diz ao respeito à abordagem geral de TI na área de negócios.

image

Figura 2 Modelo Six Steps

Etapa 1: Initiation

De acordo com o artigo Nolan em 1973, os computadores foram introduzidos nas empresas por dois motivos. A primeira razão diz ao respeito à empresa atingir o volume de processamento de que sem computadores não podem ser realizadas. Além disso, o sucesso do negócio justificava um grande investimento em equipamentos de TI. A segunda razão trata das necessidades computacionais. Nolan definiu a dimensão crítica da empresa como o motivo mais prevalente para aquisição de computador. Devido à falta de familiaridade das pessoas com a nova tecnologia, os usuários recusarem a nova tecnologia. A software era simples de usar e barato de implementar em comparação com o mainframe, o que proporciona substancial economia monetária para a empresa. Durante esta fase, o departamento de TI recebi pouca atenção da alta gerência, com uma atmosfera de "despreocupação".

Pontos importantes:

  • Resistencia contra a nova tecnologia
  • O pessoal de TI é "especializados em aprender novas tecnologias".
  • Falta de planejamento e controle de TI
  • ocus em aplicações funcionais para reduzir custos

Etapa 2: Contagion

Durante a primeira etapa os sistemas de TI foram reconhecidos e muitos usuários se tornarem alienados a computação. Devido a isso, etapa II é caracterizada por uma necessidade gerencial de explicar e visibilizar o potencial dos sistemas de TI. Isso leva à adoção em áreas diferentes aumentando a produtividade. Um problema que surgiu na fase II era que a governança não foi desenvolvida para a nova realidade e inevitavelmente, levou uma saturação das capacidades existentes e aumento a necessidade de novos equipamentos. A sofisticação dos sistemas necessitou de profissionais especializados com alta qualificação que era um aspecto altamente critico. O orçamento da área de TI aumentava significativamente e causou preocupação na alta gerencia. Embora o preço do Estágio II é alta, é evidente que o planejamento e controle é necessário.

Pontos Importantes:

  • Aumento do numero de aplicações novas.
  • Usuários são entusiasmados com a utilização de computadores.
  • Controlo e gestão é ainda mais descontraído sem regras definidas.
  • Crescimento dos orçamentos da are de TI.
  • Crescimento do uso do computador ocorre em todas as áreas funcionais da organização.

Etapa 3: Control

Estágio III é uma reação contra os gastos excessivos da etapa 2. Durantes a etapa 3, a área de TI começou criar a gestão organizada, o que levou o desenvolvimento de documentação, padrões de operação e a governança integrada entre os sistemas. Durante a etapa III, ocorreu uma mudança de gestão de computadores para gestão de recursos de TI. Esta mudança é um resultado da análise como aumentar o controle de gestão e planejamento em operações de processamento de dados. Além disso, a mudança proporcionou a flexibilidade no processamento de dados que é necessário em caso de mudanças na área de gestão. A principal característica da terceira fase é a reconstrução da operação e governança.

Pontos Importantes:

  • TI cada vez mais importante para a organização.
  • Controles centralizados são postas em prática.
  • Aplicações são muitas vezes incompatíveis ou inadequados.
  • Uso de banco de dados e comunicações, muitas vezes com a reação negativa de gestão em geral.
  • A frustração do usuário final é muitas vezes o resultado por falta de integração.

Etapa 4: Integration

Etapa 4 apresenta a adoção de novas tecnologias para integrar os sistemas que foram previamente isoladas (Silos) . As ineficiências associadas com rápido crescimento pode criou uma nova onda de problemas simultaneamente. Esta é a última etapa que Nolan reconheceu em sua proposta inicial dos estágios de crescimento em 1973.

Pontos Importantes:

  • Aumento do controle pelos usuários.
  • Aumento do orçamento de TI.
  • Aumento na procura de banco de dados on-line.
  • Não há planejamento formal e controle dentro de processamento de dados.
  • Usuários são mais responsáveis ​​por suas aplicações.
  • Comitês de gestão, aplicações de planejamento financeiro se torna importante.
  • Processamento de dados tem gestão e padrões estabelecidos.

Etapa 5: Data Adminstration

Nolan determinou que quatro etapas não foram suficientes para descrever a evolução de TI em uma organização e acrescentou etapa 5, em 1979. Etapa 5 apresentou uma nova ênfase no gerenciamento de dados corporativo ao invés de TI. Esta etapa e marcada pelo desenvolvimento e maturidade do novo conceito de administração de dados.

Pontos Importantes:

  • Conceito de administração de dados é apresentada.
  • Não há identificação de semelhanças de dados, seu uso e seus significados dentro da organização como um todo.
  • O portfolio de aplicações é integrado na organização.
  • Departamento de processamento de dados agora serve mais como um administrador de recursos de dados do que de máquinas.
  • Uma diferença fundamental é o uso do termo IT / IS em vez de processamento de dados ..

Etapa 6: Maturity

Na etapa 6, o portfólio de aplicativos - tarefas como entrada ordenada, contabilidade geral, e planejamento das necessidades - está concluído. Durante esta fase, o acompanhamento do crescimento de vendas se torna um aspecto importante. Há três aspectos do controle de gestão; fabricação, marketing e financeira. Controle de fabricação exige previsão - olhando para as necessidades futuras. Controle de marketing estritamente trata se de pesquisa. Controlo financeiro, previsões do fluxo de caixa para o futuro. A etapa 6 permite que a organização funciona em níveis elevadas de eficiência.

  • Sistemas agora refletem as necessidades de informação real da organização.
  • Maior uso de recursos de dados para desenvolver aplicações competitivas e oportunistas.
  • Processamento de dados agora enfatiza dados de planejamento de recursos estratégicos.
  • Usuários e departamentos são co-responsáveis ​​pelo uso de recursos de dados dentro da organização.
  • Gerente de TI assume a mesma importância na hierarquia organizacional como dizem que o diretor de finanças ou diretor de RH

E vocês? Como vocês se avaliem?

Os críticos deste modelo acham que apresenta várias falhas é um pouco fora de data. Enquanto o tempo progrediu, muitos continuarem considerar que este modelo continua ter um valor analítico e inovadora.

Vamos continuar, Markus