Enterprise Architect - Microsoft Brazil

Blog sobre Estratégia, Arquitetura Corporativa e Tendências de TI

Enterprise Architect: Fatores influenciadores da adoção de novas tecnologias e sistemas em TI

Enterprise Architect: Fatores influenciadores da adoção de novas tecnologias e sistemas em TI

  • Comments 4
  • Likes

Ola tudo bem ?

A adoção da Tecnologia e Sistemas da Informação é estudada há vários anos e mesmo assim existe uma percepção distorcida e questionável sobre o valor da área de TI. Considerando os aspectos doo valor de TI nos Arquitetos Corporativos (EA) precisamos conhecer modelos que ajudam analisar o papel da área de TI dentro da organização. Só assim, na minha percepção, podemos entregar serviços que atendam a capacidade de absorver mudanças.

Como mencionei no último post sobre os modelos de maturidade, existem na vida real e na área de TI, vários níveis de maturidade dentro de um só mercado. Uma das primeiras tarefas durante um projeto de Arquitetura Corporativa é analisar os fatores que poderiam influenciar a adoção de novas tecnologias. Quais são as preocupações e atividades da área de TI? Quais são as forças que direcionam e definem as prioridades? Qual é a visão da organização sobre a área de TI?

Durantes os primeiros anos do estudo da evolução da área da computação, todo foco era em gerenciar as atividades de operação, programação, coleta de dados e etc. Com a aceitação geral da área da computação pelos usuários, as necessidades de aplicações com novas funções verticais foram criadas e implementadas sem que houvesse uma estratégia, governança e controle centralizado.

Padecendo do impacto causado pelo ambiente caótico gerado pelas implementações sem governança, áreas especializadas foram criadas em grande parte das empresas com o intuito de planejar recursos e tecnologia, com a visão de longo prazo. . Dessa forma, podemos verificar que duas grandes áreas definiram a Tecnologia da Informação nas empresas até hoje: 

  • Technology Driven – Área de TI definiu a estratégia de TI (Transacional)
  • User Driven – Áreas funcionais definiram a estratégia de TI (Funcional)

Com o envolvimento dos usuários no processo de decisões de TI (departamentos funcionais), as métricas de sucesso foram definidas com base no prazo de entrega de novos sistemas, e a percepção da simplicidade de uso para os usuários. Claro que nem todas as áreas absorveram as possibilidades da computação na mesma velocidade.

Analisando esta evolução, ou talvez, movimentação, nós podemos perceber que até este momento toda visão era determinada por esses dois grandes influenciadores, sem considerar a geração de valor para o negocio, no âmbito da organização. Muita redundância e ilhas isoladas foram criadas sem integração e sinergia. Simplesmente todo mundo era dono da própria ilha.

Um modelo que garanta retorno mensurável e uma estratégia “top down” para os projetos de TI é uma necessidade que foi se tornando cada vez mais essencial. . Assim começou ser aplicado o modelo conhecido por “Information System Management”, que até hoje é considerado um pilar elementar. A criação de uma visão unificada do papel de TI dentro da organização, com atividades e recursos e considerando aspectos externos e internos, é o objetivo principal da visão do Information System Management dentro da organização.

Qual nível de maturidade tem a área de TI dentro da sua organização? Quais são os aspectos que influenciam a definição da estratégia de TI? Analisando este modelo, sua empresa esta pronta para absorver uma mudança com a visão de Information System Management ?

Pesquisas feitas por Albert Otto Hirschman mostra um modelo de três estágios para avaliar a situação organizacional.

Vamos analisar este modelo:

1) Delivery (Climb - Internal)

Sistemas de Informação tratem na maior, assuntos internos (TI), aumentar a eficiência na habilidade de entregar e suportar sistemas e tecnologia. O objetivo fundamental é estabelecer uma alta credibilidade em respeito da percepção da gerencia, como uma função de valor. A consequência desta visão é que a melhoraria na eficiência da entrega, não providencia, na maioria dos casos, os serviços que os usuários realmente precisam.

2) Reorientation (Climb - Internal)

Estabelecer um relacionamento constante com as áreas de negócios, suportar as demandas da área de negocio com provisionamento de novas capacidades de TI. O objetivo fundamental é de providenciar serviços de valor para toda gerência organizacionais. As diferentes áreas se beneficiam de outras maneiras, sem considerar a importância da organização.

3) Reorganization (Top-Down)

O nível elevado de consciência criado nas áreas de negócio e na alta gerência, cria a possibilidade e necessidade de iniciar uma reorganização de responsabilidades. Faz-se necessária a criação de uma nova estrutura e visão que atenda a integração entre investimentos em sistemas de informação, estratégia e funções da área de negócio. O objetivo fundamental é estabelecer e definir uma estratégia que esteja de acordo com as diferentes requisições das áreas de negócio, através de coalizão de responsabilidades de gerenciar sistemas de informação.

Em qual nível, a empresa onde você trabalha se encontra no modelo Information System Management? O que isso significa para você, como parte deste grupo?

Vamos continuar discutindo e, na próxima vez, falar sobre aspectos organizacionais.

Grato, Markus

Comments
  • Gostaria de agradecer Rodolfo Roim para revisar meu português, Markus

  • Olá Markus, achei bem interessante o post, ainda não conhecia o modelo Information System Management, gostaria de saber se você tem algum material mais aprofundado no assunto, se recomenda algum livro.

    Agradeço desde ja.  :)

  • Livros muito boms do Joe-Peppard sobre este assunto:

    www.som.cranfield.ac.uk/.../Joe-Peppard

    Markus

  • Muito bom...e influente

Your comment has been posted.   Close
Thank you, your comment requires moderation so it may take a while to appear.   Close
Leave a Comment