Numa época em que a maioria das organizações só se fala em inovação e aspectos de redes sociais, eu estou perguntando: “Por que o objetivo da área de TI esta continuando de ser transicional?”. Considerando os aspectos do valor de TI os Arquitetos Corporativos (EA) precisam conhecer modelos que ajudam analisar o objetivo primário da área de TI na organização.

Durante meus projetos no mundo inteiro eu vi poucas empresas que conseguirem chegar ao objetivo primário da TI, de ser considerado um valor estratégico. Durante a evolução do papel de TI foram definidos três objetivos principais para sistemas e tecnologias de informações.

  1. TRANSACIONAL (Data Processing): Melhorar a eficiência operacional, automatizando os processos de informação (Interno).
  2. INFORMACIONAL (Management Information System): Aumentar a eficácia da gestão, satisfazendo suas necessidades de informação para tomada de decisão (Interno).
  3. ESTRATÉGIC ( Strategic Information System): Melhorar a competitividade, mudando a natureza ou a condução dos negócios (Externo + Interno).

Os objetivos das eras transacional e informacional são, estritamente falando, um subconjunto do objetivo estratégico para melhorar a competitividade. Mas isto tende a ser alcançado indiretamente por meio de capacidades SI / TI melhorando as práticas atuais (Eficiência).

Por exemplo, o foco da reengenharia de processos de negócio (BPR) é visto como melhorar a competitividade, mas isto é conseguido através de redesenho de processos, considerando as capacidades de TI em fornecer novas possibilidades de design e inovação.

Embora o objetivo de sistemas de informações estratégicos é mais imediatamente relacionado com o negócio, o sucesso na realização dos objetivos transicional e informacional poderiam consideravelmente contribuir no sucesso do negócio.

  image Galliers and Somogyi, in the book Towards Strategic Information Systems

A relação entre os três objetivos é fundamental, assim como bons sistemas informacionais dependam em sistemas transacionais de alta qualidade para obter informações precisas, sistemas de informação estratégicos dependem em sistemas transacionais e sistemas informacionais para o provisionamento de informações apropriadas. Podemos-vos considerar que na maioria sistemas de informação estratégica não são aplicações isoladas, muitas vezes são as mesmas funções que para sistemas transacionais ou aplicações de informações, só em contexto mais amplo com a visão estratégica.

Este novo contexto e a lata criticidade pode colocar uma pressão considerável sobre capacidades de TI da baixa plataforma, que foram desenvolvidos para sistemas menos exigentes e menos críticos. Esta mudança poderia iniciar a evolução das capacidades básicas de infraestrutura em conjunto com um aumento do profissionalismo da área.

Podemos agora responder a pergunta do começo deste post?

Na minha visão uma grande maioria das empresas Brasileiras não considera a área de TI um aspecto estratégico, por causa da baixa maturidade dos sistemas transacionais e informacionais.

Baixa eficiência em conjunto com custo alto e falta de visão estratégico, inibi a possibilidade de criar valor estratégico para a organização.

Resumindo, não existe magica, sem passar por um processo de amadurecimento estruturado é difícil de melhorar a competitividade, mudando a natureza ou a condução do negócio da organização.

Thanks Markus