Artigo original publicado no sábado, 27 de outubro de 2012

História do OAB

Catálogos de Endereço Offline, carinhosamente chamado OAB, é um componente fundamental na infraestrutura do Exchange por muito tempo. Um OAB é usado pelos clientes do Microsoft Outlook no Modo do Exchange em Cache para pesquisas de catálogo de endereços offline. Os OABs são fundamentais para reduzir a carga de trabalho em servidores do Exchange, pois os clientes do Outlook em modo cache sempre consultarão o OAB local primeiro.

O OAB evoluiu nos lançamentos do Exchange. A última maior mudança da arquitetura OAB foi no Exchange Server 2007, onde introduzimos a distribuição pela Web do OAB junto com a função do servidor CAS tomando uma grande responsabilidade de distribuir o OAB. Mas o processo de geração OAB não mudou muito.

Até agora.

Com a mudança na arquitetura da função do servidor introduzida no Exchange Server 2013, mudamos também a forma que os OABs são gerados e distribuídos aos clientes. Vamos explorar o novo OAB no Exchange 2013 comparando-o com seus antecessores.

Mudanças na geração do OAB

Qual servidor irá gerar o OAB?

Em todas as versões anteriores do Exchange, a geração do OAB foi ligada a um servidor do Exchange específico pela propriedade Server. Ao instalar o primeiro servidor de caixa de correio do Exchange, a configuração designa como o servidor de geração OAB. É possível criar novos OABs conforme necessário. Ao criar um novo OAB, o servidor de geração OAB precisa ser especificado.

OAB no Exchange Server 2010:

Get-OfflineAddressBook "Default Offline Address Book" | fl name,server
 
Name : Default Offline Address Book
Server : MBX1

A desvantagem desta abordagem foi que apenas um servidor foi configurado para geração OAB e era o único ponto de falha. Se este servidor esteve indisponível por um longo período, a geração OAB foi afetada.

No Exchange 2013, o OAB é gerado por cada servidor de caixa de correio do Exchange 2013 que hospeda um tipo especial da caixa de correio de arbitração, chamada caixa de correio de organização. A geração de OAB não está mais vinculada pelo parâmetro Server.

OAB no Exchange Server 2013:

Get-OfflineAddressBook "Default Offline Address Book (Ex2012)" | fl name,server
 
Name : Default Offline Address Book (Ex2012)
Server :

A não vinculação do OAB de um servidor específico permite que o mesmo OAB seja gerado por vários servidores de caixa de correio. Esta nova arquitetura oferece maior resiliência na geração OAB.

Qual componente irá gerar o OAB?

O serviço Microsoft Exchange System Attendant foi o principal responsável para a geração de OAB em versões anteriores do Exchange. A geração de OAB era um processo programado, isto é, a geração OAB iniciaria no momento programado configurado na propriedade OAB, sem relação com a carga de trabalho no servidor.

No Exchange 2013, o OABGeneratorAssistant, um assistente de caixa de correio executando no serviço Microsoft Exchange Mailbox Assistants, gera o OAB. Assim como a maioria dos outros assistentes de caixa de correio, o OABGEnerationAssistant é um processo em etapas – funciona e pausa de acordo com a carga de trabalho no servidor.

Onde os arquivos OAB são armazenados?

Em versões anteriores do Exchange, o OAB gerado pelo servidor da caixa de correio estava localizado na pasta %ExchangeInstallPath%\ExchangeOAB. A pasta foi compartilhada para que o CAS possa recuperar os arquivos OAB para distribuição para clientes Outlook.

No Exchange 2013, os arquivos OAB são gerados e armazenados primeiro na Caixa de correio da organização e copiado para a pasta %ExchangeInstallPath%\ClientAccess\OAB\.

Mudanças na distribuição de OAB

O Exchange 2007 e 2010 suportavam dois métodos de distribuição de OAB: distribuição da Web e distribuição de pasta pública. O Exchange 2013 suporta apenas o método de distribuição da Web, portanto, vamos explorar as mudanças no método de distribuição da Web.

O CAS do Exchange 2007/2010 retirou os arquivos OAB gerados no servidor da caixa de correio respectivo e armazená-los localmente. O Serviço de Distribuição de Arquivos do Microsoft Exchange na função do CAS realizou a tarefa obtendo arquivos OAB.

Este foi o fluxo de download de OAB do lado do cliente:

  1. O Outlook recebe a URL do OAB da Descoberta Automática e atinge um servidor CAS.
  2. O CAS autentica o usuário e serve arquivos OAB do disco local.

Algumas desvantagens com este método:

  1. O download do OAB falha se o CASnão possui os arquivos OAB localmente.
  2. Se o Serviço de Distribuição de Arquivos no CAS não está funcionando, os clientes receberão os arquivos OAB antigos ou, em outras palavras, não receberão atualizações.

No Exchange 2013, os arquivos OAB não são armazenados localmente no CAS. O CAS 2013 faz o proxy de todas as solicitações de download do OAB para o servidor de caixa de correio do Exchange 2013 adequado. Com esta mudança na arquitetura, o Serviço de Distribuição de Arquivos do Microsoft Exchange é removido da função do CAS.

No Exchange 2013, este é o fluxo do download de OAB:

    1. O Outlook recebe a URL do OAB da Descoberta Automática e atinge o CAS 2013 designado através da URL do OAB.

O servidor do CAS realiza as seguintes ações:

  1. Realiza a autenticação inicial do OAB.
  2. Consulta o Active Directory e determina a caixa de correio de organização mais próxima para o usuário solicitante.
  3. Consulta o Active Directory novamente para determinar o banco de dados de caixa de correio hospedando a caixa de correio de organização.
  4. Consulta o Active Manager para determinar o servidor da caixa de correio onde o banco de dados de caixa de correio está ativo (montado).
  5. Faz proxy da solicitação para o servidor de caixa de correio identificado na etapa 4.
  6. Recupera arquivos OAB e os passa para o cliente.

Este novo fluxo de trabalho supera as desvantagens do fluxo de trabalho de download do OAB herdado.

A caixa de correio da organização

A Caixa de correio da organização é um novo tipo de caixa de correio de arbitração introduzida com o Exchange 2013. A caixa de correio de arbitração com capacidade persistente OrganizationCapabilityOABGen é chamada Caixa de correio da organização. Tem uma função fundamental na geração OAB, armazenamento e distribuição.

Cada função de caixa de correio do Exchange Server 2013 hospedando uma Caixa de correio da organização irá gerar todos os OABs do Exchange 2013 definidos no ambiente. O OAB é gerado na Caixa de correio da organização primeiro e copiado posteriormente no disco.

Use o seguinte comando para identificar a Caixa de correio da organização:

Get-Mailbox -Arbitration | where {$_.PersistedCapabilities -like "*oab*"}

Exemplo:

Get-Mailbox -Arbitration | where {$_.PersistedCapabilities -like "*oab*"}
 
Name Alias ServerName ProhibitSendQuota
---- ----- ---------- -----------------
SystemMailbox{bb558c35... SystemMailbox{bb5... mbx1 Unlimited

Armazenar arquivos OAB na Caixa de correio da organização torna os arquivos OAB mais resilientes.

Agrupando: Um cenário de vida real:

O seguinte cenário agrupa os principais pontos que aprendemos até o momento:

  1. MBX1 e MBX2 são servidores de caixa de correio do Exchange 2013 e membro de um DAG. O CAS1 é um CAS do Exchange 2013.
  2. A caixa de correio da organização está presente no banco de dados de caixa de correio DB1. O DB1 possui cópias no MBX1 e MBX2.
  3. O DB1 está atualmente ativo no MBX1.
  4. O serviço Microsoft Exchange Mailbox Assistants no MBX1 irá gerar o OAB.
  5. O OAB será gerado primeiro na caixa de correio da organização e posteriormente copiado para o disco de MBX1. Neste ponto, o MBX2 não está tendo qualquer função na geração de OAB.
  6. Um cliente do Outlook tente baixar o OAB e chega no CAS1 através da URL do OAB.
  7. O CAS1 consulta o Active Manager e descobre que o banco de dados hospedando a caixa de correio da organização (DB1) está ativo no MBX1.
  8. O CAS1 faz proxy da solicitação de download de OAB para o MBX1 e encaminha os arquivos de volta para o cliente.
  9. Neste ponto, o MBX1 fica inativo devido a uma falha de energia e o DB1 é ativado no servidor MBX2.
  10. O CAS1 recebe outra solicitação para download de OAB, consulte o Active Manager novamente e, desta vez, faz o proxy da solicitação para MBX2, pois o DB1 está agora ativo no MBX2.
  11. O MBX2 extrai arquivos OAB presentes na caixa de correio da organização para o disco, para garantir que os últimos arquivos sejam servidos para o cliente.
  12. O MBX1 volta a ficar online, mas o DB1 permanece ativo no MBX2.
  13. No próximo ciclo de trabalho de geração do OAB, o serviço do Microsoft Exchange Mailbox Assistants no MBX2 irá gerar o OAB.

O próximo artigo nesta série irá falhar sobre como gerenciar o novo OAB no Exchange 2013.

Bhalchandra Atre

Esta é uma publicação traduzida. Encontre o artigo original em OAB no Exchange Server 2013